Opinião

Uma Noite Inesquecível, Julia Quinn, Série Quarteto Smythe-Smith volume II

Com o casamento do príncipe Harry e da Meghan, tenho vontade de vos falar da minha paixão pelas histórias de princesas.

Julia Quinn conquistou-me com a série Bridgerton, e quando acabei de ler os 9 livros fiquei com imensa saudade desta família de aristocratas ingleses. Contudo, e a pedido de muitos fãs, ela felicitou-nos com uma nova série da mesma época sobre a família Smythe-Smith. Esta família é conhecida pelo quarteto constituído pelas filhas em idade de serem cortejadas. Todos os anos dão um espectáculo para a alta sociedade e todos os anos é um desastre.

Este livro centra-se em Daniel Smythe-Smith, conde de Winstead. Quando o álcool é um influenciador de disputas, Daniel é levado a um duelo indesejado com um final infeliz para o adversário. Com isto, Daniel vê-se forçado a abandonar a Inglaterra por três longos anos. Quando finalmente pode regressar ao seio da sua família acaba por se deparar com o espectáculo do quarteto.

Anne Wynter, a perceptora das primas de Daniel, foi recrutada para substituir no piano uma das Smythe-Smith que adoeceu. Em palco percebeu o erro que tinha feito em aceitar ocupar o lugar de Sarah. Envergonhada e intimidada, deu o seu melhor até se aperceber que havia alguém a observá-la dos bastidores. Os fantasmas de Anne perseguem-na ao longo de toda a história e no momento que ela vê aquela pessoa no escuro fica petrificada. Ela tenta sair o mais rapidamente possível do palco.

Daniel está fascinado pela desconhecida ao piano e decide descobrir quem ela é, seguindo-a.

Daniel beija Anne logo no primeiro encontro, ela fica sem saber o que fazer e ele fica com a vontade de ter mais.

Anne vai tentar não se apaixonar por este conde, mas o coração escolhe o seu próprio caminho. Daniel é persistente com a sua demanda de conquistar Anne, e tudo fará para a ter.

O passado de Anne vai trazer consequências graves para estes dois, vão ter de fugir da morte e assumir o que sentem um pelo outro.

Neste livro está presente a força da união familiar e da solidariedade. Faz-nos sonhar com uma Londres muito mais romântica e mais bonita.

Não conto mais para vocês poderem suspirar, tal como eu. Londres é mais bonita quando há amor no ar!

Até Breve,

1 Comentário

  • Inês Lobo
    2018-06-02 Responder

    Tenhoque ler, não conheço de todo.mas gpsto desse tipo de romances

Deixe o seu comentário

.